Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso

“António – um nome, dois mundos” tem três nomeações no CONTE
publicado a 1 de maro de 2018

A peça “António – um nome, dois mundos” que a Associação Social e Cultural dos Funcionários da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso apresentou no Concurso Nacional de Teatro (CONTE) recebeu três nomeações do júri: Melhor Interpretação Principal Feminina (Célia Dias), Melhor Desenho de Luz-Prémio Orlando Worm (Francisco Machado e Rui Costa) e Melhor Guarda-Roupa (Maíra Ribeiro).

“Felicito o grupo de teatro da Associação de Funcionários da Câmara Municipal. Foi com agrado que recebemos a notícia da nomeação para estas três categorias e há ainda a possibilidade de receber um outro prémio, que resulta da votação do público. Este grupo contribui para a elevação e valorização desta arte e para que tenhamos o teatro bem vivo na Póvoa de Lanhoso. Desejo muito sucesso a esta equipa”, refere o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva.

A peça retrata a vida do principal benemérito da Póvoa de Lanhoso, António Ferreira Lopes, e de sua esposa, D. Elvira Câmara Lopes, tendo texto e encenação de Maíra Ribeiro.

Rascunho automático 184

Luís Esteves, funcionário da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, que interpreta António Lopes, descreve os principais desafios na composição da personagem: “A Maíra já nos habitou a desafios e, quando me propôs este de encarnar o maior benemérito da nossa Vila, eu fiquei um pouco assustado, pois venho de outros registos, mais alegres e abertos. Como gosto de desafios, aceitei e comecei a trabalhar o personagem, tendo de atravessar várias fases de idade e de estados de espírito. Um desafio que, no final, penso ter conseguido e ultrapassado. O feedback de público é bastante compensador e gratificante. Voltava a fazê-lo sem problemas nenhuns, pois estou sempre aberto a desafios”. Como Povoense, interpretar esta personalidade foi um “orgulho” para Luís Esteves. “Ele foi e é o maior benfeitor e benemérito deste concelho, pelo que fez e deixou para nós, Povoenses. Foi uma pessoa sensível aos acontecimentos em seu redor, trabalhador e lutador, foi acompanhado de uma grande mulher, sua esposa D. Elvira Câmara Lopes, que tinha um coração do tamanho do mundo. Mostrar essas características e sentimentos aos Povoenses foi um orgulho e prazer para mim. Mostrar em palco o pouco que passou e sentiu deixou-me emocionado e a pensar por que é que não são todas as pessoas assim, como ele foi”, confidencia.

Rascunho automático 185

A peça ainda recebeu uma nomeação para Melhor Desenho de Luz – Prémio Orlando Worm, da responsabilidade de Francisco Machado e Rui Costa. “Fazer a melhor iluminação em função da cenografia foi o principal desafio assim como criar os ambientes que respondessem ao solicitado pela encenadora Maíra Ribeiro”, refere Francisco Machado.

Os resultados serão conhecidos no próximo sábado, dia 3 de março, na Gala de Encerramento do CONTE, que vai contar com a presença do patrono do certame, o conhecido ator Ruy de Carvalho.

Rascunho automático 186

A peça ainda recebeu uma nomeação para Melhor Desenho de Luz – Prémio Orlando Worm, da responsabilidade de Francisco Machado e Rui Costa. “Fazer a melhor iluminação em função da cenografia foi o principal desafio assim como criar os ambientes que respondessem ao solicitado pela encenadora Maíra Ribeiro”, refere Francisco Machado.

Os resultados serão conhecidos no próximo sábado, dia 3 de março, na Gala de Encerramento do CONTE, que vai contar com a presença do patrono do certame, o conhecido ator Ruy de Carvalho.