Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso

Câmara Municipal e TT Lanhoso colaboram contra incêndios
publicado a 2 de Julho de 2018

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e o TT Lanhoso, uma associação desportiva ligada ao todo-o-terreno, assinaram um protocolo de colaboração, com o objetivo principal de realizar ações de vigilância, deteção e dissuasão de incêndios.

O protocolo estabelecido vai vigorar no período com maior número de ocorrências de incêndios florestais no concelho da Póvoa de Lanhoso e engloba ainda a vigilância nos reacendimentos e o apoio na distribuição de logística às forças de combate.

“Este é um bom exemplo, que pode ser seguido por outras entidades associativas do nosso concelho, já que todos podemos dar o nosso contributo para a defesa da nossa floresta”, refere o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva. Trata-se de uma situação pioneira, no concelho da Póvoa de Lanhoso. O apoio a ser prestado pelo TT Lanhoso aos agentes de proteção civil no terreno é voluntário.

O protocolo foi assinado pelo Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, e pelo Presidente do TT Lanhoso, Luís Sá, no final de uma reunião entre os elementos da Proteção Civil, com intervenção direta nos incêndios florestais, que decorreu nos Paços do Concelho, no dia 28 de junho.

Para além de representantes do município, estiveram presentes nesta reunião elementos da GNR, dos Bombeiros, das Juntas de Freguesia e da Afocelca, aos quais foi ainda distribuída a versão final do Plano Operacional Municipal (POM) para o ano de 2018. Este documento foi aprovado em sede de comissão municipal de defesa de floresta contra incêndios, no passado dia 10 de abril de 2018.

Durante esta reunião, foi feito um ponto de situação dos trabalhos de beneficiação de caminhos florestais, que estão a decorrer pelo concelho, nas áreas consideradas prioritárias, tendo em conta o historial de incêndios naquela área e a existência de manchas florestais, permitindo uma melhoria significativa  no combate aos incêndios florestais.

Na mesma oportunidade, foi ainda divulgado o Projeto Voluntariado Jovem para as Florestas, tendo sido aprovada a candidatura que o município apresentou ao IPDJ, podendo participar jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos. Para isso deverão proceder à sua candidatura diretamente no site do IPDJ.

Período Crítico vigora até 30 de setembro

De lembrar que, em 2018, o Período Crítico vigora de  1 de julho  a 30 de setembro, podendo a sua duração ser alterada, em situações excecionais, por despacho do membro do governo responsável pela área das florestas. (Lei n.º 76/2017, de 17 de agosto, artigo 2.º-A).

Assim sendo, durante o período crítico é estritamente proibida a realização de queimadas para renovação de pastagem ou eliminação de restolho, bem como o uso do fogo nos espaços rurais e florestais para a queima de resíduos agrícolas e florestais; é igualmente proibido fumar, realizar fogueiras de recreio e lazer e usar equipamentos de queima e combustão destinados à iluminação e/ou confeção de alimentos. Destaque ainda para a proibição do lançamento de foguetes e de balões de mecha acesa em todo o território municipal, sendo o uso de fogo-de-artifício sujeito a autorização prévia da Câmara Municipal.