Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso

Dia do Concelho celebrou identidade Povoense
publicado a 26 de Setembro de 2018

Póvoa de Lanhoso comemorou 726 anos da atribuição do Foral

A inauguração da ampliação do Pontido e a homenagem e distinção a personalidades da vida pública Povoense e funcionários/as da Autarquia marcaram as comemorações do Dia do Concelho, este ano.

Manuel Baptista, Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso entre 2005 e 2017, Amândio Oliveira, Presidente da Assembleia Municipal entre 2013 e 2017, e Altino do Tojal, reconhecido jornalista e escritor, a título póstumo, foram as personalidades homenageadas no dia 25 de setembro, pelo seu contributo relevante para o desenvolvimento e afirmação da Póvoa de Lanhoso.

“Demonstrar o enorme orgulho que temos nos mais de sete séculos de história em comunidade e reforçar permanentemente a nossa identidade enquanto Povoenses são os dois principais objetivos das comemorações do Dia do Concelho”, referiu o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva. “Comemorar o dia 25 de Setembro de 1292 é, precisamente, prestar tributo à nossa memória coletiva e a todos aqueles que transformaram positivamente o nosso concelho. O município tem esse dever de justiça para com o seu passado, pois só assim poderá construir melhor o seu futuro”, salientou ainda o autarca. “Servindo os interesses dos Povoenses, contribuindo para a melhoria da sua qualidade de vida, escrevendo novas páginas na longa história da nossa terra. Só assim, estaremos à altura do legado que recebemos dos nossos antepassados”, finalizou o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, durante a sessão solene evocativa do Dia do Concelho, que decorreu no Theatro Club.

“Se celebramos o Concelho da Póvoa de Lanhoso é porque reconhecemos o que ele significa na nossa vida quotidiana. E não se trata apenas da sua função organizativa ou jurídica, que envolve o município, as freguesias, as escolas, um número imenso de instituições que fazem a nossa vida de todos os dias; essa função organizativa é importante, para que a gestão do nosso quotidiano não esteja longe de nós e nos permita participação real. Mas trata-se também da dimensão simbólica, especialmente representada na sua história e no seu património, e sobretudo nas suas gentes. Ao celebrarmos o Concelho da Póvoa de Lanhoso celebramos não apenas as instituições que lhe dão vida, todos os dias, mas sobretudo a identidade dos povoenses”, referiu, de entre outras considerações, o Presidente da Assembleia Municipal, João Duque.

A Póvoa de Lanhoso assinalou os 726 anos da atribuição do Foral por D. Dinis. Esta data é celebrada no Dia do Concelho, a 25 de setembro.

As celebrações começaram, contudo, no fim de semana anterior, dias 22 e 23 de setembro, com a realização da III Feira Tradicional Maria da Fonte, no recinto da Feira, no centro da Vila da Póvoa de Lanhoso. O programa teve a participação de diversas entidades locais. 

Ampliação do Pontido permite novas dinâmicas 

A ampliação do Parque do Pontido foi inaugurada na manhã de 25 de setembro. “Um parque urbano, com fortes características ambientais, que viu alargada a sua área e respostas de lazer, permitindo uma nova dinâmica a este equipamento central”, referiu o Presidente da Câmara Municipal. A inauguração contou com a presença de crianças, demonstrando com a sua alegria algumas das potencialidades do espaço.

Este é um projeto promovido pelo Município da Póvoa de Lanhoso e cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte - NORTE 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, que conta com um investimento elegível de 508.488,96€, ao qual corresponde a comparticipação comunitária de 85% no valor de 432.215,62€.

Avelino Silva destacou outros investimentos em curso, superiores a 10 milhões de euros, “que permitem afirmar a Póvoa de Lanhoso como um território onde é bom viver, trabalhar e visitar”: a intervenção na Escola Professor Gonçalo Sampaio, que permitirá concluir o plano de construção ou requalificação dos equipamentos escolares; o alargamento da rede de água e saneamento, em dez freguesias, que permitirá dar um salto significativo no aumento da cobertura deste serviço essencial; e a regeneração urbana e a requalificação da praça Eng. Armando Rodrigues.

Funcionários/as distinguidos pela Autarquia

Cerca de 40 funcionários/as foram distinguidos, este ano, pelo respetivo tempo de serviço (10, 20, 30 e 40 anos) na Câmara Municipal. “O sucesso de qualquer organização passa muito pelo profissionalismo dos seus colaboradores. Felizmente, a Câmara Municipal é um bom exemplo a este nível e, por isso, quero deixar uma palavra de agradecimento a todos os homens e a todas as mulheres que diariamente nos ajudam a cumprir o trabalho no município, que é cada vez mais exigente”, salientou Avelino Silva.

Homenagem a Manuel Baptista

“Durante três mandatos, a Câmara foi sempre a sua primeira prioridade, entregando-se de corpo e alma às funções de Presidente, com claro prejuízo para a sua vida pessoal e profissional. O Baptista trouxe para a política a dimensão humana e social que tantas vezes falta aos líderes políticos. A sua gestão marcou pela positiva uma fase importante da nossa história recente. Os Povoenses reconheceram-lhe a capacidade de trabalho e a sua sensibilidade para os problemas das famílias mais desprotegidas”, considerou Avelino Silva, destacando ainda: “Foram anos onde a Póvoa de Lanhoso se tornou um exemplo nacional nas políticas sociais, o que diz muito da sua forma de ser. O Baptista foi um Presidente respeitado pelo país fora, nomeadamente na CCDR, o que muito ajudou a conseguir investimento para o nosso concelho. Teve, também, o respeito dos seus colegas na comunidade do Ave, que o escolheram para liderar a CIM, numa altura fundamental de negociação do novo quadro comunitário”. Afirmou Avelino Silva que “o Manuel Baptista é um líder admirado e acarinhado pelos Povoenses. E hoje queremos agradecer-lhe tudo que fez e que continua a fazer pelo desenvolvimento da nossa terra”.

Homenagem a Amândio Oliveira

“O papel da assembleia municipal é fundamental no equilíbrio de poderes, no debate político, na fiscalização da atividade da câmara municipal e, acima de tudo, na representação partidária que é muito salutar. O trabalho desenvolvido pelo Dr. Amândio de Oliveira foi por todas as forças políticas reconhecido como exemplar, deixando uma marca muito positiva neste órgão deliberativo. É mais que justo que lhe façamos este reconhecimento, agradecendo em nome dos Povoenses o tempo que dedicou à sua terra”, referiu Avelino Silva, que, nas pessoas de Manuel Baptista e de Amândio Oliveira, agradeceu a todos os autarcas que, nos últimos anos, serviram a sua terra nas mais variadas funções.

Homenagem póstuma a Altino do Tojal

“Apesar de não residir no nosso concelho, aqui viveu os primeiros anos da sua vida e aqui decidiu escolher a sua última morada. Altino do Tojal, destacado jornalista, foi uma referência na área cultural, destacando-se nas letras. A nossa história é também resultado de todos estes contributos. Como reconhecimento do seu percurso, a sua terra não poderia deixar de lhe prestar esta simbólica, mas sentida homenagem”, destacou o Presidente da Câmara Municipal.

Descentralização com recursos financeiros

Avelino Silva mostrou disponibilidade e motivação para assumir novas responsabilidades, no âmbito da descentralização de competências para as autarquias, “desde que estas tenham um impacto muito positivo na vida dos Povoenses e desde que não subtraiam recursos financeiros ao orçamento já limitado da autarquia”. Para o Presidente da Câmara Municipal, esse é um princípio de boa gestão de que a autarquia não abdicará e é a partir dessa base que serão analisadas as propostas do Governo. 

Já para João Duque, o aumento das competências das autarquias “pode vir a constituir uma grande oportunidade para melhor servir a população, aproximando os processos de decisão à situações concretas e otimizando os recursos. Mas também pode ser ocasião para o reforço de problemáticas pretensões de poder; ou então para uma subtil desresponsabilização de quem foi eleito para assumir responsabilidades”. Por isso, o Presidente da Assembleia Municipal assegura: “Estamos aqui, como instituições cuja única finalidade é defender a dignidade da população local, para debater e vigiar o processo, para que dele resulte uma democracia mais forte e mais próxima”.