Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso

Prémio Literário Municipal António Celestino já tem vencedor
publicado a 12 de Junho de 2018

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso já atribuiu o Prémio Literário Municipal António Celestino. O vencedor foi António Dulcídio Vieira Soares, mais conhecido como Tó de Porto D’Ave, que assinou com o pseudónimo Vencido da Vida o poema a que chamou “Refúgio”. 

O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, entregou esta distinção. “Depois de, no ano passado, ter escrito um conto de qualidade, este povoense, natural desta terra, escreveu, este ano, poemas que agradaram ao júri e que certamente irão agradar a todos os seus leitores. Parabéns!”, referiu o autarca.

“Um território que tem a história e o património material e imaterial como o nosso, tem de o saber honrar, transmitindo às novas gerações o gosto pela formação cultural em todas as artes – da arquitetura à música, do teatro à escultura, da pintura às letras”, salientou ainda Avelino Silva, concluindo que este é também o objetivo deste Prémio: “Contribuir para a afirmação cultural da Póvoa de Lanhoso e das suas gentes”.

A cerimónia de entrega dos prémios decorreu em Taíde (no Salão da Confraria de Nossa Senhora de Porto D’Ave). “Descentralizar a entrega do prémio, levando-a às freguesias do concelho, é também uma forma de dizer que a nossa cultura não é um exclusivo da sede do município, mas sim ela está bem patente no povo de cada uma das paróquias e nas raízes das muitas associações culturais do nosso concelho”, justificou Avelino Silva.

O Presidente da Câmara Municipal encerrou a cerimónia, homenageando aqueles e aquelas que, ao longo dos séculos, se destacaram em áreas como a história e a cultura, em que se insere António Celestino, considerando que foi a partir do seu legado que se construiu a grandeza das Terras de Lanhoso.

Para além da entrega de prémios, o momento englobou a visualização do filme “Retratos a carvão em moldura dourada” sobre a vida de António Celestino, assim como a declamação de poemas de sua autoria. O pianista Ricardo Soares também atuou.

Este Prémio surgiu em 2017, inserido no âmbito das comemorações do centenário de nascimento do escritor Povoense António Celestino. Criado pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, destina-se a maiores de 18 anos, residentes na Póvoa de Lanhoso ou comprovadamente descendentes de Povoenses; tem por objetivo fomentar o gosto pela leitura e pela escrita na comunidade concelhia, defender e valorizar a Língua Portuguesa, promover e incentivar a criação literária e homenagear o seu patrono, que nasceu na Póvoa de Lanhoso e aqui residiu parte da sua vida. Pretende ainda galardoar Contos e Poesias, as vertentes em que António Celestino mais se destacou. Este ano, premiou a Poesia. Participaram seis pessoas do concelho da Póvoa de Lanhoso. O prémio tem um valor pecuniário de 500 euros.